Vasos Canopos

Os egípcios sabiam que a decomposição do corpo começava pelas vísceras. Por isso as retiravam, secavam, e, pra manter a integridade do morto, enfaixavam estes órgãos em linho e os sepultavam junto à tumba em vasos canopos, nome dado pelos egiptólogos do século XIX. Os vasos canopos mais antigos datam da 4ª dinastia (por volta de 2.500 a.C). As tampas desses exemplares representam os Quatro Filhos de Hórus. A tampa com cabeça de chacal representa o deus Duamutef, e nesse vaso era guardado o estômago. A peça com cabeça de babuíno representa o deus Hapy e guardava os pulmões. Já aquela com cabeça de falcão representa o deus Qebehsenuef e guardava os intestinos. A tampa que representa o deus Imset, com cabeça de homem, guardava o fígado.


VASOS CANOPOS, III Período Intermediário, cerca de 747 a.C
Pedra calcária; Egito Antigo; Vasos maiores com 33,5 e 30,5 cm de altura e vaso menor com 17,5 cm de altura
Museu Nacional