Infra-estrutura

Laboratórios

Todos os docentes do Programa lotados no Museu Nacional e seus respectivos laboratórios estão instalados no prédio do Departamento de Botânica. O prédio, com total climatização e acessibilidade, acomoda a secretaria do Departamento de Botânica, quatro salas de alunos, 11 salas de docentes e os laboratórios de Anatomia Vegetal (eixo reprodutivo e estruturas secretoras associadas), Biologia Reprodutiva, Ficologia (Taxonomia de algas e Ecologia do Fitoplâncton), Palinologia, Taxonomia de Angiospermas e Etnobotânica. Os laboratórios estão equipados com microscópios ópticos, microscópios invertidos, microscópios de epifluorescência, estereomicroscópios, sonda multiparâmetros para análise de variáveis físicas e químicas de água, radiômetro subaquático, balanças de precisão, estufas, câmara germinadora, capela de fluxo laminar, autoclave, destiladores, knifemaker, micrótomos e ultramicrótomo, além de equipamentos básicos de cada especialidade e computadores, impressoras, freezer e geladeiras. O microscópio eletrônico de varredura utilizado pelos alunos do PPGBot foi adquirido pelo Museu Nacional com o apoio da Petrobrás Ambiental. O ultramicrótomo Leica adquirido no âmbito do Edital Pró-equipamentos da Capes de 2013 foi entregue em 2014 e encontra-se em funcionamento. Os docentes que não são lotados no Departamento de Botânica do Museu Nacional-UFRJ desenvolvem suas atividades de pesquisa e orientação no Departamento de Botânica do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde-UFRJ, no Núcleo de Pesquisas de Macaé-UFRJ, no Jardim Botânico do Rio de Janeiro e na Fundação Oswaldo Cruz. Nessas instituições os alunos do Programa têm disponíveis: herbários, bibliotecas, microscopia eletrônica e diferentes laboratórios de pesquisa nas áreas de Biologia Molecular, Anatomia Vegetal, Sistemática e Taxonomia de Angiospermas, Taxonomia e Ecologia de Criptógamos.

Herbário

O prédio da Botânica abriga, ainda, o Herbário do Museu Nacional, um dos maiores da América Latina, com cerca de 500 mil plantas. A coleção ocupa todo o terceiro pavimento do prédio e o acervo encontra-se organizado em armários compactadores. Considerando a importância do herbário no apoio ao desenvolvimento das dissertações e teses em todas as linhas de pesquisa, e em especial em taxonomia, destacamos que, além da infraestrutura física já instalada, encontram-se em desenvolvimento quatro projetos de disponibilização dos dados contidos no acervo: (1) a coleção de tipos nomenclaturais (ca. 5.600 exsicatas) foi toda informatizada e digitalizada. As imagens das exsicatas serão disponibilizadas pela livraria digital JSTOR através da participação no Global Plant Iniciative, com apoio da Mellon Fundation; (2) o processo de informatização das coleções conta com apoio da FAPERJ desde 2007, permitindo a aquisição de equipamentos e concessão de bolsas de Iniciação Científica; (3) participação também do INCT-Herbário Virtual da Flora e Fungos do Brasil (CNPq); (4) em 2014 recursos do CNPq através do Edital SiB-Br, incluíram cinco bolsas dedicadas à informatização do acervo. A intensa atividade de alunos junto à coleção permitiu a criação da nova linha de pesquisa Coleções Biológicas, com o projeto “O Herbário do Museu Nacional: 180 anos de ensino e pesquisa”, onde alunos de graduação, desde 2012, vêm desenvolvendo seus trabalhos de conclusão de curso, muitos deles com bolsa de IC da FAPERJ; e (5) O Herbário recebeu em 17/12/2013 os recursos advindos do Projeto Melhoria e Modernização da infraestrutura das coleções do herbário do Museu Nacional.

Recursos de Informática

A secretaria assim como todos os laboratórios do Programa são equipados com computadores com acesso à internet através de conexão do tipo wireless, o que permite uma perfeita integração de informação, como também a utilização de notebooks, tanto pessoais como do PPGBot. A secretaria conta com computadores e impressoras à laser (01 monocromática e 01 colorida). Computadores comprados com recursos da FAPERJ constituem a base para a informatização das coleções científicas e projetores (datashow) estão disponíveis para as aulas teóricas.

Bibliotecas

A Biblioteca Central do Museu Nacional possui mais de 400 mil volumes. Vários títulos têm sido encaminhados para aquisição e em parte atendidos, com a assinatura de alguns periódicos e aquisição de novos títulos. O acervo já existente, entretanto, supre de certa forma, as necessidades de nossos alunos, destacando-se como detentor de uma das melhores (se não a melhor) coleções de obras raras em nosso país, tão necessárias para as pesquisas em taxonomia. As bibliotecas do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, do Instituto Oswaldo Cruz e do CCS da UFRJ complementam a base de consulta dos discentes e docentes do Programa, além do importantíssimo acesso ao Portal de Periódicos CAPES. Além disso, o Programa adquiriu diversas obras recentes sobre taxonomia através da primeira Edição do Programa de Capacitação em Taxonomia do CNPq (PROTAX) e que se encontram sob a responsabilidade dos docentes do Museu Nacional que atuam na área.

Sala de Estudo

Espaço reservado para atividades dos alunos com computadores e equipamentos óticos.

posbotanica-022 posbotanica-118 posbotanica-140 posbotanica-279 posbotanica-247 posbotanica-232 posbotanica-216 posbotanica-205