Cestaria

O trançado com fibras rígidas visando à confecção de recipientes é geralmente denominado cestaria, um vocábulo que confunde a técnica com o objeto. O termo trançado é mais preciso, uma vez que a técnica de trançar fibra rígida é usada de várias formas: na confecção de casas, como base de máscaras, em instrumentos musicais ou em adornos. Não é uma técnica específica dos indígenas, embora artefatos feitos de fibra rígida estejam presentes no cotidiano de todos os grupos brasileiros no âmbito doméstico, no desempenho ritual e como bem comerciável. O acervo de trançado do Museu Nacional/UFRJ tem cerca de 900 peças representando 70 grupos.

 


CESTO KARAJÁ PARA MIUDEZAS "UARABARRU"
Estojo de palha trançada; Goiás; 34 x 4 x 18 cm
Museu Nacional