BORDUNA
Uapichana, 1924
Museu Nacional

Armas e Armadilhas

As armas e armadilhas de guerra e de caça são objetos importantes para os índios e numerosos itens compõem o acervo etnológico do Museu Nacional/UFRJ. Aparentemente simples, apóiam-se em conhecimentos e tecnologias complexos, sendo muitas vezes adornadas com motivos elaborados. Para os indígenas brasileiros, a guerra foi uma instituição fundamental, fator de ordenamento da vida coletiva e da unidade social.

Parte importante da cultura bélica indígena, a borduna (ao lado) não era uma ferramenta de uso diário como o arco e flecha, se destinando algumas vezes para a guerra e outras vezes em contextos rituais. A borduna nada mais era do que uma clava – um pau pesado em uma extremidade, que causava danos pelo impacto direto. As formas dessa arma (comprimento, peso, forma, decoração, etc) – e até os nomes (borduna, manacã, tangapema, ivirapema, tacape, etc), variam de grupo indígena para grupo indígena.